quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Inquietação


Acho verdadeiramente inquietante não fazer a mínima ideia se daqui a uma semana estarei a rir ou a chorar.

Devia haver seguros contra a tristeza - com o prémio pago em alegria pronta-a-usar.
As prestações seriam em horas de nem-triste-nem-alegre (já imaginaram o balúrdio?...) e reclamar o seguro seria livre - tantas horas depositadas compram x minutos de alegria.

Tenho mesmo jeito para estas coisas, não percebo porque é que não arranjo investidores: já calcularam o mercado potencial deste negócio?!?

Bem me parecia que a culpa era deles; é por estas e outras que Portugal não anda para a frente, caramba!

Hélas!

12 comentários:

Maria de Fátima disse...

se me aceita, disporei de tempo e lábia para fazer o papel de angariador sem comissão nem mais nada que servir a causa

Blimunda disse...

Acho verdadeiramente inquietante não fazer a mínima ideia se daqui a uma semana estarei a rir ou a chorar.

Ora batatas, Mac! Constato que de nada tem servido o latim que tenho vindo a debitar. Diga-me lá como se eu fosse muito loura (sem desprimor para as loiras, falsas ou genuínas) de que raio lhe serviria fazer a mínima ideia se daqui a uma semana estaria a rir ou a chorar?

Imagine só a estafadela que não seria, sabendo a Mac que daqui a uma semana estaria a chorar, começar a chorar já com penda de si mesma e assim, manter-se durante uma semana inteira até à hora predestinada de chorar e vice-versa. Capaz até de se transformar numa abóbora inchada de tantas lágrimas ou de se lhe apanharem os músculos faciais todinhos de tanto rir, caso se verificasse a segunda opção.

Interessante essa dinâmica comercial. Era gaja para investir no ramo. Só não entende para que serviria o seguro? Provavelmente para o mesmo que servem todos os outros, não?!

Blimunda disse...

Leia-se com pena de si e não com penda de si. Não obstante, penda fazer-mepender para um qualquer significado interessante.

Blimunda disse...

Separe lá o fazer-me do pender, faxavor que agora não tenho tempo. Hélas!

mac disse...

Maria de Fátima, que bom, tens jeito para angariar investimentos! Consegues a fundo perdido?

Blimunda, o seu latim é bom, o meu é que me parece estar a precisar de ser mais burilado. Eu explico: Se eu fizesse ideia que estaria a chorar, não começava já, antes pelo contrário; apressava-me a comprar minutos de alegria... Assim, a semana seria seguramente mais interessante.

Não entendo é o seu último parágrafo - eu sei para que servem os seguros, pois se estou a queixar-me de não haver disso nesta área! O que não entendo é, sendo esta uma ideia genial, não conseguir arranjar investidores para a pôr em prática. Conhece alguém disposto a trocar desde já uns minutos de alegria por tempo de nem-triste-nem-alegre, para eu começar a construir o fundo-de-maneio?

Quanto ao resto, olhe, eu sei desde sempre que o subconsciente é um tipo matreiro...

:)

Blimunda disse...

Ahhh, já percebi! Ainda assim, continuo na minha, então e acha que uma seguradora lhe seguraria a compra dos minutos de alegria e aceitaria como moeda de troco minutos de nem-triste-nem-alegre? Não sei. Acho que esse ramo de actividade tem mais a ver com empresas de teledisposições, não será?

Blimunda disse...

Se tiver oportunidade dê uma espreitadela ao blogue da Saphou. Post "As Sete Magníficas".

Bom fim de semana, minha amiga.

mac disse...

Blimunda, como diacho é que?...
Muito sinceramente, nem sei se hei-de avançar com um processo por falta de oxigénio ou se vou acender mais uma vela a S. Teotónio, padroeiro do improvável...

mac disse...

Blimunda, passado o choque inicial, minha amiga... Vou ali comprar uma vela e já volto, ok?

Mofina disse...

Chocada? Me too.

Apetece-me rir, mas não vendo nem um minuto. Se pudesse, fazia uns donativos porque dizem que muito riso é pouco siso.

Blimunda disse...

Ora beterrabas! Queria lá eu chocar alguém? Já nem sei se não será melhor retratar-me e pedir desculpa às carmelitas.

mac disse...

Mofina, percebe a minha dificuldade para lançar este negócio?!?

Quem diz que muito riso é pouco siso deve ser um triste enfadonho com complexos de inferioridade. Digo eu...

Blimunda, nem uma coisa nem outra - continue a surpreender desta forma, é muito melhor!