quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Velhice


Dizem que a velhice traz sabedoria e sensatez; sobre isso, ainda não formei opinião, se calhar ainda tenho de envelhecer mais um bocadinho.

Sobre o resto, o que noto é que cada vez sou mais lenta a mudar (a evoluir? A involuir?): aqui há uns anitos, quando relia pensamentos mais velhos que 6 meses, descritos pela minha própria mão, às vezes até ficava boquiaberta: como diabo eu tinha pensado/dito/escrito tal insensatez?!?

Hoje, releio escritos com mais de um ano e revejo-me. Concordo comigo própria. Pode lá ser?! Que andei eu a fazer tantos dias, cada um com tantas horas, se ao fim de um ano nem me movi uns centímetros?

Só coisas que me ralam.

Hélas!

5 comentários:

O QUATORZE disse...

Boa Noite
Gostei de voltar a este espaço, que tem muita boa diversidade
Amizade
LUIS 14

mac disse...

O QUATORZE: Olá, Luis14!

Obrigada, tento variar a horta...

Hélas!

fr3d disse...

Acho que (no geral) as pessoas precisam de ter opiniões solidas sobre os assuntos, porque se não tiverem, isso mostra que são inseguras de si mesmas. Nunca fui assim e sempre estive aberto a modificar a minha opinião sobre o que quer que fosse através de uma boa conversa. Na minha opinião, com a idade a nossa personalidade fica mais vincada, isso pode trazer mais sabedoria... ou mais casmurrice...

Marques Correia disse...

Maria Alexandra, don't preocupate: lembra-te que andaste uns anos (2?) a escrever compulsivamente (quero dizer, com prazos certos e sem falhar) a Folha de Couve do 5º Esquerdo (sem malícia...) e agora obrigas-te a escrever um post por dia, passe embora alguma irregularidade, que uma m'cinha não é de ferro.

Deves ter reparado que escrever é uma das melhores (a melhor?) ferramentas de apoio para pensar, pelo menos para concretizar de forma coerente o que se "acha" e deixa de achar.

Daí que seja perfeitamente natural que, um ano depois de iniciares o Resto da Couve, pouco tenha mudado de substancial naquilo que então escalpelizaste, depois do jantar, no teu retiro (dans ta place de choix) e que depois ensaiaste (ou antes tinhas abordado)com o círculo de discutidores em sessão retórico-gastronómica mensal.

Preocupante seria que em tão pouco tempo (um ano) algo de essencial tivesse mudado: ou o que alinhavaste então tinha sido superficial ou algo de drástico tinha acontecido na tua cabeça ou fora dela.

Não me consta...

mac disse...

fr3d: Bom, sobre a idade trazer casmurrice, concordo plenamente... Com o resto é que já não. Penso que as pessoas têm idéias sólidas sobre os assuntos porque pensaram sobre eles, ouviram, leram, meditaram e por fim, chegaram a uma conclusão.
É bom que a conclusão seja aberta a argumentos fortes, que obriguem a avaliar novamente a coisa, de vez em quando; mas se qualquer boa conversa tem esse efeito então parece-me que a conclusão existente ou a existir podia beneficiar de uma "digestão" mais prolongada.

Marques Correia: Estiveste quase! Na realidade, a Folha de Couve foi publicada durante um (1) ano, na Ala Sul do 7º piso.
Concordo contigo, escrever é uma das melhores maneiras de organizar a pensadura, até já o disse aqui... De algum modo, choca-me a falta de evolução: já lá vão 7 meses e deixa-me que te diga, algumas coisas mudaram bastante em mim nesse tempo - desilusões com pessoas, quedas em certos reais comezinhos mas estranhos para mim... Alterações na minha percepção do mundo que deveriam reflectir-se de alguma maneira nesta filosofia de trazer por casa que me anda no bolso. E não dou por nada disso. Ou estou vesga ou ainda não digeri a mudança.

Hélas!