domingo, 12 de outubro de 2008

Praia


Sinto saudades do mar.

O marulhar das ondas, sempre igual e sempre diferente, a teimosa superfície até ao horizonte, a enérgica vida por baixo, protegida de olhares casuais, tudo isso me falta.

Sinto saudades da areia da praia.

A aparente suavidade mascarando a firmeza de rocha, a flexibilidade resistente, a teimosia lenta com que regressa à forma original, tudo isso me falta.

Não, não são saudades da infância, tão pouco saudades das férias, podem crer. São mesmo saudades da praia, saudades da tranquilidade que me traz, saudades do equilíbrio que me provoca, saudades da paz que lá sinto...

Hélas!

3 comentários:

O QUATORZE disse...

Boa Tarde
Por vezes viajo um pouco nos espaços, parei para ler um pouco.
Interessante e agradável,
Parabens.
Comprimentos
LUIS 14

Ana C disse...

Fantástico! Consegues transcrever tão bem alguns dos meus sentimentos. Será que afinal consegues ler pensamentos, leste os meus e eu nem sequer me dei conta???

mac disse...

O QUATORZE: Obrigada, é sempre bom um elogio!

Ana C: :)

Hélas!