domingo, 14 de junho de 2009

Portadores de diferença visual


Vulgarmente chamados "cegos" - eu sou uma pessoa muito, muito vulgar. Além disso, detesto eufemismos, principalmente estes que querem fazer de conta que um cego não é cego e um coxo não é coxo. Como se chamar goiaba a uma cebola lhe retirasse as propriedades irritantes para os olhos e anulasse a sua contribuição ao refogado. Parvajolas.

Bem, voltemos aos cegos:

Um foi atropelado por uma vaca. Ficou com uma costela partida; nem o cão-guia lhe valeu, isto de passear tranquilamente no campo é perigoso.

Outro foi preso por infracções de trânsito; foram-no buscar a casa porque o tipo nunca guiou na vida (ficou cego em criança). Viver na cidade, com tanta informática também é perigoso. Ou pelo menos incomodativo.

Foi em terras de sua Magestade, sabe-se lá que mais aconteceu noutras terras menos tolerantes com os media...

E eu, que sempre julguei os Monty Python uma série sarcasticamente exagerada, verifico que mais uma vez, a realidade supera a ficção.

Hélas!

5 comentários:

jg disse...

Como se pode verificar, andamos todos às cegas.
No mau sentido. E no bom, também.

Nota: se não ficar esclarecida sobre este comentário não hesite em contactar a Blimunda.
Verá que logo lhe apresentará teses várias para me denegrir a imagem!

mac disse...

jg, The King is dead, long live the King! E em terra de cegos quem tem olho é rei, etc...

Batatas.

Mofina Mendes disse...

????????
!!!!!!!!!

Qual a infracção, comeu um peão com o cavalo?

Blimunda disse...

Ora Mac, o que por cá mais há é destas realidades superadas por tantas outras ficcões. O Jg que o diga já que em ficções é ele craque!

mac disse...

Mofina, não faço idéia, o artigo apenas referia "infracções de trânsito". Se calhar foi excesso de velocidade, ia tão depressa que nem viu a polícia...

A informática é extraordinariamente isenta, não distingue um bêbado de um coxo; mas cegos, cegos, eram os agentes que o levaram, não acha?!?

Blimunda, então a realidade bate o rapaz aos pontos.