terça-feira, 23 de junho de 2009

Oferenda


Um cacho de uvas. Meia dúzia de bagos redondos, num saquinho transparente de papel celofane.

Ora batatas, mas isto tem algum jeito?!? Ficar comovida por umas tolas bolas sumarentas - ninguém diz que são doces, se calhar são piores que limão, só com cachaça, gelo e muito açucar é que marcham - num papel pindérico de loja, por muito poeticamente descrito que tenha sido?

Caramba, tenho mesmo de ir à bruxa para me assegurarem que não, o meu desconcerto é apenas mau-olhado e por meia dúzias de patacas posso ver-me livre disto.

Se ao menos fossem melancias, haveria peso na razão. Mas tintol e apenas em potência??

Hélas!

4 comentários:

Maria de Fátima disse...

olha bem que a princesinha hoje calou-se de perguntadeirar e ficou de beicinho pendurado
(e linda que ela está...)
quem foi o mauzão que lhe tirou o jeito: o pescocinho levantado, o queixinho espetado: "porquê isso?!"
ai ai ai que eu zango-me com esse pessoal que põe a minha princesinha com gotinhas ao cantinho do olho

jg disse...

Mac, não devia ter referido o "celofane".
Vai ver que alguém se irá aproveitar da deixa para me chegar lume brando. Logo agora que está um calorão!!

Blimunda disse...

Mac, nem sei se comente a sua auto-indignação pelo cacho de lágrimas entaladas na garganta que o "cacho de uvas" teve o poder de provocar em si e em mim também, se o próprio "cacho de uvas"da grande escritora que é a senhora sua cunhada Maria de Fátima, se o despropósito do Jg.

...

Fico-me pelo não-dito!

mac disse...

Maria de Fátima, bonito...

jg, calorão? Que calorão?!?

Blimunda, o despropósito do jg! :)