segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Guerra civil


Já uma vez fiz esta pergunta, na Folha de Couve.

Como ninguém respondeu, faço agora outra vez, esperando beneficiar desta maior interactividade: Que diacho quer dizer "guerra civil"?

Hélas!

24 comentários:

Alferes disse...

Talvez:
guerra=confronto
civil=civilizado
confronto civilizado=blog ????

Fonte: dicionário da língua portuguesa (pré acordo)

sam disse...

Guerra civil- confronto dentro do mesmo país feito pelos proprios habitantes ou forças armadas do proprio.

mac disse...

Alferes, de algumas elocubrações estratosféricas, fantasias neurológicas e teorias orto-linguísticas que me chegaram, esta é sem a menor dúvida a melhor explicação que já me foi oferecida.

Nem o Funes nem Espanha a corroboram mas isso agora não interessa nada; afinal de tudo, são sempre as excepções que confirmam a regra.

Fico sua devedora.

sam, o que eu queria mesmo era questionar as idiossincrasias da nossa querida língua mátria. E as idiossincrasias de outras linguagens, tão cheias de humanos contra-sensos.
Mas agradeço a atenção.

Funes, o memorioso disse...

É uma guerra entre irmãos que não andam na tropa.

mac disse...

Funes?!? A minha alma está parva, mas mesmo aparvalhada de todo.

Ummmmhh.. Mas mesmo sem andar na tropa, usam farda? É que se usam farda já não dá.

Mesmo sem ser verde,se é igual a alguns quantos e determinados outros já não dá.
Um lencinho diáfano na testa ou no braço, se for sempre de determinada cor, também já não dá, é difícil.
É que é mais importante ser irmão-de-cor que filho-da-mesma-mãe.

Ná. Acho que quem tem razão é a Alferes.

Álvaro disse...

Drª Alferes disse tá dito. anda sempre em cima da escrita e das pontuações.

Aposto que dava 0 ao Saramago, por causa das virgulas, a mim dá-me, de vez em quando.

O Dr. Sam deu uma explicação certinha e a drª.mac deu-lhe com a idiossincrasia.

O Sr.Dr. Funes brilhante como sempre alvitrou bem, mas a Drª Alferes do aquário foleiro, e que ficámos a saber não vai em guerras, tem o seu coiso fechado a mal vestidos ,cá o Alvarito, de vez em quando atira-se de cabeça, mas bate com a dita na muralhado castelo.

Assim é que nunca há guerra civil lá em casa não é Drª ?

Marques Correia disse...

D. MAC, uma guerra civil não tem que ter as pessoas vestidas à paisana nem as farpelas têm que ser todas desiguais.

A guerra civil tem mais que ver com a natureza dos intervenientes: a guerra civil mais badalada, a espanhola, foi entre dois exércitos esopanhóis, ambos regulares, o republicano (os rojos) e o franquista (os falangistas), se bem que os rojos incorporassem as brigadas internacionais, uma indescritível tropa fandanga, mais uma milícia do que propriamente um exército.

A guerra civil angolana tinha o pessoal fardado de ambos os lados, como é habitual em qualquer guerra, civil ou não. O que lhe dá o carácter de "civil" é mesmo o ser intestina, as partes beligerantes são forças do mesmo país.

Com a guerra do Biafra, igualito.

Com... enough!!!!! I've made my point.

mac disse...

Álvaro! Julguei que andava em trabalho de campo a estudar as particularidades camelas dos acampados contra vontade; afinal anda a espreitar castelos, bolas que eu ando sempre atrasada no tempo.

Por favor não maltrate as minhas visitas, são tão poucas que têm de ser muito bem tratadas para ver se voltam e trazem os sobrinhos.

o sam foi um querido, não esteja para aí a dizer que eu lhe dei com a idiossincrasia sem mais nem menos, que eu até agradeci e tudo.

O Funes foi inesperado, uma honra embora a sua teoria de guerra seja um pouco menos sólida que a do Sun Tzu.

Quanto à Alferes, desculpe mas anda enganado. Ela é a maior. Já coloquei esta minha dúvida momentosa a montanhas de gente e nunca obtive uma resposta com este valor. Se tem guardas no castelo, que importa? Confesse que nunca teria dado por isso se não tivesse tentado lá ir sem convite; para a próxima ponha um casaco e uma gravata e finja que é o Funes, talvez a coisa pegue.

mac disse...

Marques Correia: D. Mac?!? Dª, se faz favor, doutorada em Boca e Bitates pela Universidade Álvara, uma Universidade de renome nacional e com um produtividade doutorística invejável neste país tão pouco produtivo.

Quer-me parecer que está enganado, o que dá o carácter de "civil" é ser "não militar". A natureza dos intervenientes, essa é sempre a mesma, em Espanha como em Angola: malta com falta de pachorra para argumentos suaves e que parte para a discussão concreta: quem é que alguma vez ouviu um morto a argumentar?!?

Blimunda disse...

A esta hora a guerra já acabou e já ninguem se interessará se é civil ou militar, nem tão pouco o significado da adjectivação. Ainda mal que pergunte, que importa se é civil, militar ou raio que a parta se é e será sempre guerra?

Marques Correia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alferes disse...

Saramago?
Gosto muito mais de ler Funes! E a Mac! Divirto-me mais e canso-me menos!

mac disse...

Blimunda, há tantas guerras! Umas já acabaram como diz, mas outras vão a meio e outras preparam-se ainda; é útil a malta saber se precisa de ir ao alfaiate encomendar a farda ou se nos oferecem uma.

Alferes Obrigada... obrigada (olhó queixito!)...

sam disse...

Isso de ir ao alfaiate depende da farda que quizer, se for um caso de urgencia sempre lhe posso emprestar a minha...

mac disse...

Sam, obrigada. Tem dourados?

sam disse...

Nao, ainda nao. Pra cadete nao ha dourados pra ja, é uma pena eu sei...:)

mac disse...

Sam, obrigada pela oferta mas se não tem dourados não me serve. Acho que levo umas jeans.

É que eu tenho um doutoramento em BB pela Universidade Álvara, usar uma farda sem dourados seria realmente descer de nível.

sam disse...

Pois realmente tenho de concordar, mas talvez pedindo ao nosso Alferes a dela provavelmente tera ja tera algum dourado...

mac disse...

Sam, boa idéia. Até porque deve ter também umas riscas esquisitas no ombros, que eu nem sei o que são mas há malta que lhes faz continência - e numa guerra civil esse pentear do cabelo até deve ser um bem escasso.

Estou aqui estou rica, à pala da Alferes.

sam disse...

Quem sabe... As riscas so la estao pk sao bonitas mais nada,alguns ate tem estrelas, tudo para ficar bonito...
Diga-se de passagem as nossas fardas sao das mais bonitas da Europa.

mac disse...

Sam, dessas bonitezas não sei, que de fardas só sei que a minha devia ter dourados.

Marques Correia disse...

A ausência de fardas, com dourados ou sem eles, não são condição sine qua non para uma guerra ser considerada "civil".
A guerra da secessão´é considerada uma guerra civil pela simples razão de ter sido travada entre dois exércitos constituídos dentro do mesmo país.
Exércidos fardadinhos da Silva, claro...

mac disse...

Marques Correia, bahhh... Os espanhóis não percebem nada dos subtis sabores da língua portuguesa.

Marques Correia disse...

I'm lost... in translation from spanish