quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Aperto de mão


Já apertaram a mão a um gordo trapo morno? Hghhhhhhhh... Ainda hoje o fiz e até a recordação me eriça os pelos dos braços.

Já me disseram que eu apertava a mão como um homem - não sendo eu parte dessa raça simbiota, senti-me algo insultada, vá-se lá saber porquê.

Mas como pelos vistos não sei como uma senhora (sim, não uma gaja qualquer, que isso era uma desclassifição terrível) deve apertar a mão, haverá por aí alguma senhora que me informe? É que não gostava de morrer completamente ignorante nesta importante questão. Obrigada desde já.

Hélas!

8 comentários:

Marques Correia disse...

Hummmm, bom, uma Senhora não aperta a mão de um cavalheiro; uma senhora dá a mão a apertar.

Deve fazê-lo com a dita na horizontal, palma para baixo e dedos na vertical, pontas para baixo.

O cavalheiro, se for educado, segura (não aperta) os dedos da mão da senhora e curva-se ligeiramente para a frente, numa vénia graciosa, após o que retira a mão. Se estiver uniformizado, deverá acompanhar a vénia com uma ligeira batida de calcanhares.

Já (quase) não se usa o beija mão, mas a senhora não deve retirá-la precipitadamente se o cavalheiro fizer menção de beijar as costas da mão. Não é de bom tom levar a bigodaça a menos de 10 cm da mão da senhora.

(in Manual de Etiqueta e Boas Maneiras, Academia Militar, 1967; a Vacomdeus tem um manual parecido, mais agiornato)

Maria de Fátima disse...

ora que eu ia dizer-lhe, cunhada, que lhe perguntasse: (ele) saberia...e sabe rsss
é isso, mas, e poruqe "sofro" do memso trauma (a ginástica que eu faço, min ha querida, para não deixar em prantos certas mãozinhas delicadas que se colocam entre a minha ... um tormento, acredite...
mas essa de fazer tal qual descrito em Manual de Boas Maneiras, ná, não consigo: diga-se: nem tento...aliás está a cunhada vendo a figura que faria...eu claro...

Elora disse...

Ora com tanta coisa interessante para apertar, vais querer apertar mãos?

Blimunda disse...

Mac, não faço a mais pálida ideia de como é que a Mac, o Álvaro e o Marques Correia, entraram na minha vida. Sei apenas que foi através da porta do Funes. Posso dizer-lhe que me tenho deliciado a ler as Vossas "Coisas". Fantásticas!!!

Álvaro disse...

Olá Drª Mac

antes de mais quero avisá-la que esteja prevenida com uma cópias do I will survive, escrevi para aí umas coisas inspiradas no negócio do sr. pbl da peixaria Aquario e é natural que lhe venham a pedir umas cópias, está provado que os peixinhos gostam daquilo para fazer amor.

O dr.marques correia respondeu às suas dúvidas e olhe que quem fica assim nos retratos, não deve ter só cara, deve ser mesmo inteligente.

Tanta atenção à higiene do bigode, mas deve também olhar prá qualidade da mãozinha, ele há cada unhaca.

No Alentejo foi abolido há muitos anos essa coisas do beijão-mão, exactamente por causa da qualidade higiénica das ditas, depois da monda
o dia inteiro ao sol, mija de perna aberta e lenço para limpar as beiças, não deva jeito beijar fosse o que fosse, ficávamos por uma palmada nas costa e um olá comadre já chegava

mac disse...

Marques Correia: Muito obrigada pelas dicas. Serão um excelente guia para próximas aproximações - desde que feitas a cavalheiros como vexa. Mas se o gordo trapo morno pertencer a uma fêmea também? Batatas, estou outra vez no charco (Hghhhhhhhh e os pelos dos braços a subir, eriçados... Que aborrecimento).

Maria de Fátima: Cunhada, bons olhos a leiam! Que julguei que na folia da reforma, tinha reformado também os seus favoritos...

Elora: Há surpresas boas, boas... Uma borboleta destas, a voejar no meu cercado?!? Caramba, devo ter feito qualquer coisa certa na outra encarnação.

Blimunda: Sei de fonte insegura que pelo menos o Marques Correia não foi através do Vice-Rei. Mas que interessa de onde vem a água, se é potável?!? A gente bebe e pronto, ala que se faz tarde para a jornada. O seu sítio também tem coisas que me cabem na mochila...

Álvaro: Uma surpresa, encontrar o sr dr novamente no meu quintal - apesar de alentejano nunca pensei que tivesse algum interesse por couves. Mas já que por aqui anda, não resisto a informar: a higiene é sobrevalorizada, principalmente se for à conta do beija-mão. Cambada de preguiçosos, já uma senhora nem se pode valer do Manual da Academia Militar! Ora batatas.

Hélas!

Mofina Mendes disse...

Nunca aperto a mão, cumprimento com um beijinho social, daqueles que nem se chega a encostar o rosto...

E não é que gostei deste sítio! Posso adubar?

mac disse...

Mofina Mendes: Já eu reservei os meus beijinhos a malta diferente, onde essa distância social nem faz sentido, e aperto a mão aos contactos profissionais... Se calhar foi mal escolhido.

Agradeço pessoalmente todo o adubo, chuva,
caça às ervas daninhas
e outros subsídios.

Hélas!