quinta-feira, 9 de julho de 2009

Serralharia


Hoje foi um dia chave.

Não sei ainda é se a fechadura serve.

Hélas!

10 comentários:

jg disse...

Certinho, certinho, são as tramelas.
Ou as trancas.
Srvem sempre.

Hélas!!!!!!!!

Mofina disse...

A porta está aberta. Não perca tempo, Mac, entre os saia conforme lhe convir!

Mofina disse...

correcção aqui da patareca: “entre OU saia”

Blimunda disse...

E a porta sustentará a fechadura?

Maria de Fátima disse...

e será correcto enfiar o buraco na dita?!
não será que apenas se deve meter a dita no buraco?!
só coisas que me ralam

mac disse...

Bom, jg, isso evitava muitas complicações... Mas também não tem o frisson de acertar com o par chave/fechadura!

Mofina, já fez puzzles? Não é a imagem final que interessa.

Blimunda, quem falou em porta?

Maria de Fátima, mas qual buraco? Já viste meter um dia num buraco?!?
Mudei finalmente, pá. Sabe-se lá se para melhor ou para pior, mas mudei, está feito.

Blimunda disse...

Hã?!!!

mac disse...

Blimunda, as chaves e as fechaduras são indissociáveis para abrir (ou fechar!) qualquer coisa, sim, mas o quê? Pode ser uma porta. Ou uma janela. Ou um buraco. Um baú.
Ou, mais imaterial, uma compreensão. Uma diferente maneira de olhar para as coisas. Uma encruzilhada. Uma escolha.
Quem sustenta a fechadura somos nós - mas precisamos da chave. Que, às vezes, não serve. Mas mesmo que a chave não sirva, nós sustentamos a fechadura.

Blimunda disse...

Ora nem mais: nós =» porta!

E perdoe-me a insistência mas insisto: e a porta sustentará a fechadura?

mac disse...

Sim, pela simples razão de que tem de.
Senão, não há fechadura e a chave nem serve nem deixa de servir - o que seria um desperdício de esforço. Um grande.