domingo, 11 de abril de 2010

Quem me dera


O perfume das flores é leve e honesto,
Ah! Quem me dera sentir o perfume das flores!

O riso das crianças é leve e honesto,
Ah! Quem me dera ouvir o riso das crianças!

A lambedela do cão é leve e honesta,
Ah! Quem me dera sentir a lambedela do cão!

Quem me dera a graça de estar lá,
quando a flor exalou, a criança riu, o cão lambeu.

Quem me dera, quem me dera ter lá estado,
E ser feliz assim, sem mais nada.

Hélas!

17 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Discordo. O perfume das flores não é leve e honesto e também o não é o riso das crianças. Algumas flores libertam um fedor insuportável e os sacaninhas dos miúdos só se riem do mal (como os adultos, de resto).

mac disse...

Caríssimo, eu não disse que era agradável, só que era leve e honesto: what you see is what you get...

Blimunda disse...

Mas há mais. Há um infindável rosário de insustentáveis levezas que não sentimos exactamente por serem, inacreditavelmente, leves.

mac disse...

E há uma infindável sequência de pesos que não sentimos porque são demasiado pesados. Sentiremos amanhã, no moer dos ossos.

Mas sobre esses não quero cantar

saphou disse...

Mac, poema belo, discordo do conteúdo. Estou com o Funes. Basta ler "O Senhor das Moscas", está tudo dito quanto às crianças; as plantas carnívoras,têm um cheiro pestilento; da terceira coisa não me lembro pk parece que estou com princípio de Alzheimer.

saphou disse...

Dass para a "Insustentável leveza do Ser", pesado...tive que caminhar kilómetros depois do livro e do filme para aguentar o peso.

saphou disse...

50? Não são 49?

saphou disse...

acima há uma vírgula entre o sujeito e o verbo, fica-me bem!

Vieira Calado disse...

E couve é do melhor que se come!

Diz quem sabe!

Saudações poéticas

mac disse...

Saphou, que prazer ler-te aqui no quintal!
Adorei o "O Senhor das Moscas". A prova romanesca que há quem se mantenha gente entre os bichos, mesmo crianças. Já a "Insustentável leveza do Ser" não me convenceu tanto, detesto adultos armados em crianças inexperientes (não digas nada à Bli, ela gosta daquilo).

E são 50 simsenhora, meio século.
Tou mesmo velha, batatas.

mac disse...

Vieira Calado, obrigada - fico com o ego inchadíssimo, que sei com quem sou medida!

Blimunda disse...

A Bli gosta de tudo o que é Escrita. Mais de uma do que de outra, é certo. Desta, ainda não decidiu se gosta mais ou menos. Ainda não terminou o livro. E...prognósticos só no fim do jogo.

Alferes disse...

Velha não, Mac. Lá, no sítio dos racionais, chamam jovens aos de 50 anos. Jovens!!!!

Maria de Fátima disse...

mas eu nem comento o conteudo, que é na forma que me desvaneço. quero lá eu saber se perdeste, ou cuidas ter feito,a leveza ou o peso, e quem para medir isso, do que dizes e mais ainda do que não te surge e no entanto te foi
interessante é o modo como o dizes...mesmo mentindo
(e entrei numa escalada de peso depois que soube, que consciencializei, que a mana quase mais nova de uma amiga minha do liceu é já, ai Deus meu! é já muito mais velha do que era a mãe dela quando nos fazia bolo de chocolate para as festas...
tens a certeza que são mesmo meia centena?!!!!!!!!!!!!!

mac disse...

Bli, certo, prognósticos só no fim do jogo.
Se Deus quiser o e Diabo não for contra, ja cá não estarei para os fazer,que maravilha!!

Alferes, não serão gerontes todos, esses racionais? Quem chama novo a uma antiguidade de 50 não é de confiar...

Maria de Fátima, quando é que cresces?!? O importante é o bombom, não o papel de prata.

Eu nunca minto. Quando muito, enfeito a verdade com bolas e fitas.

Mofina disse...

A lambidela de cão tb não me parece um prazer mto apetecível, mas respeito...

mac disse...

Não gostas de cães, Mofina? Ou só não gostas de lambedelas de cão?