segunda-feira, 26 de abril de 2010

Injustiça


Não se pode viver à sombra dos desastres prováveis porque não se vive, morre-se devagarinho. Mas também não se deve ignorar a beira da falésia, é irrazoável e imprudente.

É injusto, isto. Gostava tanto de ser uma rapariga equilibrada!

Hélas!

4 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Gostava tanto de ser uma rapariga equilibrada!

Ai estava a falar de si? Pensei que era do país.

mac disse...

Nunca tinha pensado no país como rapariga, sempre pensei nele como um rapaz desiquilibrado!

Idéia interessante, Funes.

Blimunda disse...

Se os desastres são prováveis não há nada que se lhes possa fazer para evitar que se concretizem. Isto diria Murphy. Já Godel diria que ainda que não se possam provar eles acontecerão o que acabará por bater no mesmo. O Teorema da Incompeltude de Gödel e o Principio da Incerteza de Heisenberg não nos deixam muita margem de manobra, pois não Senhora Doutora?

E agora pergunto eu: como é que se pode ter a pretensão de se ser equilibrada num universo caótico destes?

mac disse...

Há malta que consegue, Bli, não sei como mas consegue.

São torres de paz. Nem faço idéia do que lhes dói o mar alto que por eles sobe, preso.