domingo, 23 de outubro de 2011

Sei lá!


Eu sei lá, de tanta coisa que acontece a tantos e tanta coisa que me acontece a mim, sei lá o que quero dizer...
Estou presa entre a realidade geral e a particular.

Sim, sempre soube que não se consegue dizer, explicar com detalhe as nossas coisas - invariavelmente as coisas dos outros pedem audiência, sofredoras também, ansiosas de compreensão também.

E importância, bem, é melhor nem entrar por aí porque a importância é sempre relativa - a dor na minha unha do pé, porque é minha, será sempre mais importante que as crianças que morrem de fome e sede num canto obscuro do mundo.
É triste mas é assim.

Nunca como agora desejei fugir do mundo.
Gostaria de poder viver numa casinha à beira do mar, com internet, claro, email e outras mordomias remotas que não me obrigassem a falar de viva voz.

Todos nós temos as nossas preferências. Se estivéssemos num filme de ficção científica e houvesse um ser que nos obrigasse a escolher qual das nossas capacidades daríamos em troca da vida, toda a gente, chorando e rangendo os dentes, conseguiria escolher.

3 comentários:

Mofina disse...

Também não sei. Se calhar é melhor não saber...

Maria de Fátima disse...

tou como essa aí
vinha escrever apenas também não sei
e é o que faço
sei lá...

mac disse...

Fátima, não chames essa aí à minha pastora porque eu irrito-me, começo a ranger os dentes e isso faz-lhes mal.

Meninas, haverá escola, para esta ignorância??

Ah, quanto eu gostaria de não ser desassossegada.