quarta-feira, 16 de março de 2011

Umh...


Ainda não percebi se sou eu que estou doida ou é o mundo que está maluco. E esta dúvida acompanha-me já há algum tempo, essa é que é essa.

Agora, de repente, ocorreu-me que esta diferença é irrelevante. Que chatice, sempre gostei de pensar que eu era relevante. Até sou mas só para mim, que irrelevância...

Batatas, parece que esta dúvida nem fazia sentido, afinal. Uma dúvida tão acarinhada, francamente, não há justiça, anda uma rapariga a criar uma dúvida anos e anos e depois é isto. Não há justiça, pá.

Isto é só coisas que me ralam.

3 comentários:

teresa g. disse...

Bem gostava de dissertar sobre essa dúvida, mas... pois, o costume...
Bjinho e boa noite ;)

Funes, o memorioso disse...

De facto, a primeira hipótese não exclui a segunda.

mac disse...

Teresa, mas discursa, discursa, por quem és! Agora ou depois, como te der mais jeito.

Funes, precisamente!
Anda uma rapariga que tempos a tentar resolver uma charada que afinal não o é, que perda de tempo!