quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Natureza


Naturalmente, a natureza é insensível na definição humana de sensibilidade.

O efeito dos dias nos seres que governa também nada lhe diz, se é que o conceito de dia fora da humanidade existe; já sem falar no próprio conceito de algo dizer alguma coisa a algo que não é humano... Nestas circunstâncias, só me ocorre pensar/dizer: "aguardemos pois serenamente o futuro que virá, gostemos dele ou não".

Mas nós por aqui, somos humanos. Aguardar serenamente é uma bela figura de estilo mas sem eco no coração do Homem, cuja natureza própria é rabiar, lutar, esbravejar, refilar, revoltar-se, desafiar o espaço, o tempo, a chuva, Deus e os Demónios. Fazer, enfim, o seu próprio tempo e o seu próprio caminho.

Se eu apanhasse a Natureza a jeito, também lhe torcia o pescoço.

Hélas!

3 comentários:

saphou disse...

Mas não ao ananás anão de Israel

mac disse...

não, no ananás não toco, é o meu milagre palpável

Rolando disse...

oi . tudo blz? estive por aqui. muito interessante. apareça por lá. abraços.