sexta-feira, 25 de junho de 2010

Encruzilhada


Quando chegamos a um cruzamento e queremos ir a vários sítios, que fazer?

Se vamos para a direita vamos onde queremos ir mas não vamos onde também queremos ir. Para a esquerda é o mesmo. Para trás não se pode, o caminho já nem existe.

Podemos sentarmo-nos no meio do cruzamento, à espera da construção da terceira via, aquela que nos leva a dois lados distintos. Algures lá para o século XXXI, com os nossos destinos mortos e por enterrar, nós próprios mortinhos da silva de tanto esperar, será aberta a via com destino a lado algum. Isto ainda dava em epidemia, tantos mortos ao ar livre.

Moeda ao ar? Não, a moeda ao ar é falta de discernimento e de coragem. Antes fazer asneira, que assim só falta o discernimento.

Para a direita, destino mais importante? O que nos fará, ter tomado essa decisão? Às tantas não aproveitamos o destino, enterrados na decisão que abdica do caminho da esquerda.

Para a esquerda? Mas não queremos ir para aí, só queremos ir durante um bocadinho, depois queremos o destino da direita - só que depois não há desvio, a direita perde-se quando se decide ir pela esquerda. Que chatice, isto não é nada justo.

E se formos em frente, apesar de não haver caminho? O mais provável é não chegarmos a nenhum dos locais onde queremos ir e ficamos tipo judeu errante, amaldiçoado por todos os destinos onde não chegámos, presentes onde não queríamos, perdidos em lado nenhum e muito, muito infelizes. A chorar por não termos seguido pela direita. Ou pela esquerda.

Uma alternativa é deitarmo-nos ao rio, é chato mas viável e definitivo. Os destinos lá ficam abandonados mas não temos de decidir nada; não tem qualquer uso para ninguém mas também não exige nada. Claro que é cobarde mas caramba, dos mortos ninguém diz mal e se mesmo assim disserem não estamos cá para ouvir. Aliás nem estamos cá para nos julgarmos a nós próprios. Muito confortável.

Ou será que se consegue ir para a direita com as rodas da direita e para a esquerda com as rodas da esquerda, tudo isto sem perder o Norte ou o juízo? Será possível que a encruzilhada não seja mais que um desafio malabarista?

Se calhar a encruzilhada é simplesmente falta de arte. Um verdadeiro artista nunca passaria sequer por uma encruzilhada, chegando a todos os destinos sem nunca precisar de decidir se vai por um lado ou pelo outro, uma vez que o seu artístico caminho alcança ambos os destinos.

Ou se calhar não.

Acho que finalmente compreendo os suicídas e os Napoleões de Rilhafoles: tiveram demasiadas encruzilhadas na vida.
Ou então tudo isto são tonterias de quem nem se mata nem mora em Rilhafoles mas, enfrentando encruzilhadas como toda a gente no mundo, tem uma compulsão relativa a origami com neurónios.

Mas então e se os caminhos não forem caminhos mas sim uma forma de...

Ora batatas, chega! Vou ver o dr House.

Hélas!

9 comentários:

Sam disse...

ai Mac que deu nó aqui dentro.

Blimunda disse...

Maria Mac, deixaste-me o juízo parco, diga-se, todo encruzilhado. Nem quero pensar nisso.

Mofina disse...

Fácil, é só voar para norte ou para sul, conforme as Estações do ano.

AC disse...

Por amor de Deus!!!! Isto é um quebra-cabeças!!!!
Non, rien de rien, je ne regrette rien...Ni le mal qu'on m'a fait, ni le bien....tout ça m'est bien égal... Saltei algumas rimas, mas WHATEVER.
Quaisquer que sejam as escolhas, estão feitas. O homem ainda nao ytem o dom de fazer backwords... De que serve dizer devia ter ido para esquerda ou para a direita? Estão feitas. Agora, depois da encruzilhada, é andar para à frente.

mac disse...

Sam, não é?

Blimunda, nem eu!

Mofina, tivesse eu asas...

AC, a questão não é o depois, é o antes.

privada disse...

Mac dizem os experts k na encruzilhada deves sentar-te, descansar, reflectir, ha-de passar algo k te vai dizer o caminho - vai onde te leva o coração, pá, de kk forma, nao tenhas medo de te enganar, se for o caminho errado depressa voltas a uma encruzilhada.
Isto é optimista!

saphou disse...

Bom dia Mac.

mac disse...

Eu sei que és um optimista, privada! Quem dera que houvesse mais malta assim.

Olá, Saphou. Bons olhos te leiam.

Blimunda disse...

Bom dia, malta.